Sinto-me vencedor!

Publicado em: 7 de março de 2018


Meu nome é Donizete José Antônio e sou ex-acolhido da Casa de Acolhimento São Pio.

Eu comecei a usar drogas porque eu queria ser notado, pois me sentia muito desvalorizado. E percebia que quem usava drogas sempre era visto e chamava atenção. Então, comecei andar no meio onde havia drogas. Fui amadurecendo e conhecendo outras drogas. Tudo que viesse eu experimentava, até o momento em que não eu não tive mais controle.

Nasci em Lagoa da Prata, mas, eu fiquei a maior parte da minha vida como andarilho nas ruas ou nas estradas.

Passei pela Casa São Pio por diversas vezes, mas, da última vez foi diferente. Eu completei os nove meses de tratamento e, hoje, até o cigarro consegui deixar. O único vício que tenho hoje é Jesus e minha namorada, a Maria, que eu amo muito e tem sido muito importante na minha vida.

Eu não sei dizer o que me fez deixar as drogas, o que me levou a tomar essa decisão radical. Foi até estranho pra mim quando completei o tratamento e eu me perguntava: ‘‘Para onde eu vou?’’ Mas, decidi que não iria mais usar drogas. Eu precisava ter dinheiro para comer, para minhas necessidades, então, eu fui atrás de um trabalho. Certo dia, pedi ajuda a um amigo e ele me deu oportunidade para trabalhar. Logo eu consegui um lugar para morar, depois de um tempo eu já estava trabalhando de carteira assinada!

Houve um momento muito difícil na minha vida, quando recebi o diagnóstico de um câncer. Mas, alcancei uma graça muito grande, foi uma cura de Deus. O tratamento foi um sucesso! Hoje eu me sinto um vencedor!

Vendo minha vida hoje, penso em tudo que eu passei, toda dificuldade, fome, dor, abandono… Tudo serviu para me fortalecer e me mostrar como Deus sempre cuidou de mim. Tudo foi um grande aprendizado, essa é a minha história e tenho orgulho dela!

por: Assessoria de Comunicação | Transcrição: Carol Fonseca

Postagens Relacionadas

TESTEMUNHO HÉCULES

15 de janeiro de 2019

TESTEMUNHO DO HÉRCULES, EX-ACOLHIDO E COMPOSITOR

Meu nome é Hércules, filho de uma mineira e um baiano, que tiveram 3 filhos. Não tenho lembranças de meu pai, pois ele morreu quando eu era ainda muito pequeno. Minha mãe, viúva, criou meus dois irmãos e eu, sozinha. Minha mãe sempre foi e é uma guerreira e batalhadora. Comecei a trabalhar muito cedo

7 de março de 2018

Coração de mãe: “Venci pela fé e pela oração”

Esta edição da série de testemunhos sobre a vitória sobre a drogas será dupla. Isto porque trouxemos o testemunho de uma pessoa muito importante na recuperação de muitos irmãos que passam pelo processo de tratamento da dependência química. Vamos conhecer quem é essa pessoa tão especial? Continue lendo para saber… Conheça o testemunho da Dona